Fundação do Meio Ambiente inicia o Censo Florestal Urbano

FUNDAÇÃO DO MEIO AMBIENTE INICIA O CENSO FLORESTAL URBANO

Transformar Navegantes numa cidade com responsabilidade ambiental. A proposta é trazer o verde para Navegantes com vias e praças arborizadas de maneira ordenada e embelezadora através do programa de arborização urbana – Árvores de Navega. O primeiro passo é a realização do Censo Florestal Urbano que teve o início essa semana.

O Superintendente da Fundação do Meio Ambiente, Marcos Zaleski de Matos, explica que o Censo Florestal Urbano é um diagnóstico de todas as árvores existentes no perímetro urbano da cidade de Navegantes. “Este banco de dados quando finalizado será de fundamental importância para que possamos iniciar o Programa de Arborização Urbana,” destaca.

O tempo previsto para a conclusão do Censo Florestal é de 30 dias, sistematizando as informações técnicas em um banco de dados eletrônico de todos os indivíduos arbóreos de Navegantes.

O Censo Florestal Urbano também pretende verificar:

-se os indivíduos arbóreos atendem a Norma de acessibilidade NBR 9050;
– o percentual de árvores nativas e exóticas;
– descrever todas as espécies de nome científico;
– quais árvores precisam de poda de condução (evitar interferência na rede de energia elétrica);
– porcentagem das árvores frutíferas;
– as espécies com elevado potencial de floração;

– Georreferenciar todas as árvores da cidade e criar um mapa temático;

– Verificar se a quantidade de árvores está de acordo com a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) que indica o mínimo de 1 árvore/habitante.

A arborização traz muitos benefícios para a cidade, desde o conforto térmico, afinal as árvores são comparadas com um climatizador nos dias quentes e também aumento da umidade relativa, diminuição da poluição sonora, prevenção de alagamentos, valorização imobiliária, aumento do turismo, incentivo econômico e outros benefícios ecológicos.

“Arborizar uma cidade não significa sair plantando árvores porque se faz necessário muita responsabilidade no plantio por meio de programa baseados em estudos e com a avaliação de profissionais especializados na área, afinal são vários aspectos com o cuidado no plantio para uma cidade com responsabilidade ambiental. Este programa contribuirá com a qualidade do meio ambiente e bem-estar da população, preservando a biodiversidade da mata atlântica,” finaliza o Superintendente.